Até quando, Rueda?

No começo da tarde deste domingo, o técnico Reinaldo Rueda disse ainda acreditar no título brasileiro do Flamengo, em entrevista ao programa Esporte Espetacular, da Rede Globo. Bastou a bola rolar na partida contra o São Paulo para o torcedor se perguntar se o treinador está brincando com quem ama o clube ou se entende pouco de futebol.

O Flamengo que Rueda mandou a campo no Pacaembu teve apenas um jogador a se salvar: o goleiro Diego Alves. De resto, tudo foi ruim. E começou mal antes mesmo de entrar em campo. A dúvida de sempre persiste. Diego foi poupado por desgaste físico e ficou no banco.

Então vamos lá pela milésima vez: se está desgastado, por que ficou no banco? A ideia não era preservar o camisa 35 para o Fla-Flu de quarta-feira, pela Sul-Americana? Então, mais uma vez, qual a razão de deixá-lo no banco? Se está desgastado, se tem que ser poupado, não pode sequer se pensar em colocá-lo em campo.

Mas, sim, Diego entrou após a lesão de Berrío. O atacante colombiano, aliás, é alvo de mais uma eterna dúvida. Qual a razão de, mesmo jogando seguidas vezes mal, ser titular jogo após jogo? Pela arrumação tática de Rueda, ficou claro que Éverton Ribeiro seria banco mais uma vez para o colombiano, caso Diego não tivesse sido poupado.

A boa vontade de Rueda com Berrío é irritante, intrigante e inexplicável. O fato de conhecê-lo dos tempos em treinava na Colômbia não justifica em hipótese alguma a insistência do atacante entre os titulares.

E Geuvânio como centroavante??? Meu Deus do céu…

Não bastassem os erros de Rueda, o Flamengo ainda teve contra o São Paulo dois laterais que nada produziram. Pará não conseguiu apoiar, enquanto Trauco não atacou e ainda foi envolvido com incrível facilidade na defesa.

A atuação de Willian Arão é para ser esquecida. Tudo bem que ele está longe de ter capacidade técnica para ser titular absoluto do Flamengo. Mas os erros infantis e sonolência que apresentou na partida são injustificáveis.

Réver também foi envolvido em vários lances, enquanto Rhodolfo teve uma boa chance na frente, mas errou praticamente tudo na zaga. É um jogador lento, imitado tecnicamente e que não justifica o alto investimento feito pela diretoria.

Para resumir a tarde trágica no Pacaembu, Rueda ainda colocou Gabriel em campo. Sem desmerecer qualquer profissional, o que se pode esperar de um time que depende de Gabriel para reagir na casa do adversário?

Rodada após rodada, o Flamengo vai se complicando no Brasileiro. O momento crucial está chegando. Ou o time chega à Libertadores pelo título da Sul-Americana, ou corre o risco de dar um dos maiores vexames de sua história ao não conquistar nada relevante, mesmo com um elenco milionário.

Um comentário em “Até quando, Rueda?

  1. Até quando Rueda? Até ele parar de inventar colocando Rodolfo, Berrio e principalmente Gabriel. Ele tem que entender que o efeito devastador do tal do Zé ainda não passou. O time dito titular já deixa muito a desejar imagina os outros.

Deixe uma resposta