Duro golpe para Guerrero

Não vamos nem levar em conta a irresponsável discussão que se arrastou ao longo da tarde dando conta de que Guerrero poderia ter sido pego no antidoping por usar drogas como maconha ou cocaína. Também não vamos ficar com a hipocrisia de Juninho Pernambucano, por exemplo, que usou o surrado discurso durante o programa Seleção Sportv de que o jogador faz o que quiser em seu momento de folga. E muito menos vamos achar graça dos memes que surgiram após a confirmação do problema envolvendo o peruano.

Vamos nos concentrar no jogador. A suspensão preventiva por 30 dias é um duro golpe na carreira de Guerrero. Perto de se tornar herói nacional no Peru, pela chance que tem de levar sua seleção a uma Copa depois de 36 anos, e também em vias de renovar seu contrato com o Flamengo, o atacante passou a ficar na berlinda.

E sem qualquer demagogia ou hipocrisia, fica aqui a esperança de que as informações iniciais recebidas pelo departamento de futebol do Flamengo se confirmem. Ao que tudo indica, o doping de Guerrero foi provocado por um remédio para gripe. E, nesse caso, o jogador é totalmente inocente. Quem ao menos já conversou com alguém ligado ao futebol sabe que a missão de cuidar da saúde do jogador é quase que exclusiva dos médicos do clube.

Existem casos (e são vários) de jogadores que tomam remédio sem consultar os médicos. Se esse foi o caso, Guerrero não poderá reclamar de nada. Mas o peruano é conhecido internamente por não ter essa prática. Logo, teria sido medicado pelo médico da seleção peruana, o que o isentaria de culpa.

A questão mais cruel, agora, é se o médico peruano assumirá mesmo a culpa, correndo o risco de ver sua carreira comprometida dentro e fora da Confederação Peruana. Enquanto isso, quem já paga a conta é Guerrero. E o Flamengo, por consequência.

A torcida é para que as informações iniciais se confirmem. E que Guerrero consiga provar sua inocência. É uma questão mais humana do que esportiva.

Deixe uma resposta