Questão de Justiça – Parte 2

Pará não pediu para ser contratado pelo Flamengo.

Pará não tem culpa por ter sido o escolhido pela diretoria como parte do pagamento de uma dívida antiga que o Grêmio tinha com o Flamengo, pela compra do ex-atacante Rodrigo Mendes.

Pará não tem culpa de ter tido seu contrato renovado e receber cerca de R$ 250 mil mensais no Flamengo.

Pará não tem culpa por ser escalado, mesmo tendo seguidas atuações ruins.
Pará não tem culpa de o Flamengo ter pensado em dispensá-lo por indisciplina e ter voltado atrás.

Pará não tem culpa de o Flamengo ter investido R$ 4 milhões em Rodinei (com salário de R$ 200 mil mensais) para ser o novo titular da lateral, e o reforço ter se mostrado ainda mais deficiente que ele.

Pará já fez gols contra que prejudicaram o time e impediram vitórias. É claro que não fez isso de propósito. Pode ser falha, pode ser azar.

Pará não tem culpa de ser azarado.

Pará não tem culpa de ser um dos ‘protegidos’ do presidente Eduardo Bandeira de Mello.

Pará não tem culpa de ser escolhido como CAPITÃO pelo técnico Reinaldo Rueda.

Pelo que se comenta, Pará é querido pelos companheiros e se dedica nos treinos.

A única culpa que Pará tem é achar que joga mais do que verdadeiramente joga.
Pará merece respeito na sequência de sua carreira.

Mas está claro que essa sequencia não pode ser mais no Flamengo. É uma questão de justiça.

Um comentário em “Questão de Justiça – Parte 2

Deixe uma resposta