Pressão para quem ?

Em suas entrevistas, o técnico Reinaldo Rueda diz que o Flamengo está pressionado por resultados melhores. Discurso ou verdade? A julgar pelo comportamento dos jogadores durante e depois das partidas, as palavras do treinador são apenas para enganar o torcedor.

Em campo, o Flamengo é um time apático e desorganizado. Não vamos aqui nem sequer entrar na questão da qualidade técnica. É lugar comum que Pará é um lateral limitado, que Rafael Vaz comete erros bisonhos e repetidos e que nada justifica a insistência na escalação de Márcio Araújo. Isso qualquer um já percebeu.

O que não dá para entender e aceitar é como o Flamengo se tornou um time com alma de perdedor. É só ver a reação dos jogadores após as partidas. Com raríssimas exceções, o que se vê são discursos vazios, um conformismo estarrecedor e muitas vezes com atletas rindo na saída de campo.

É claro que perder faz parte do jogo e da vida. E ninguém quer que os jogadores fiquem trancados em casa remoendo a dor das derrotas. Mas achar tudo normal é algo inaceitável para quem veste a camisa do Flamengo. O repetido discurso de que “fizemos o nosso melhor” e “agora é melhorar nos próximos jogos” não convence mais ninguém. São discursos vazios, mentirosos e revoltantes.

O Flamengo de 2017 chegou ao ponto tão baixo que nem mesmo um possível título Sul-Americana apagará a lembrança de tamanha apatia do elenco. A pergunta que mais se faz hoje é: como mudar o panorama para 2018? Talvez nem o técnico Reinaldo Rueda já tenha essa resposta.

Deixe uma resposta