Guerrero é suspenso por um ano pela Fifa e Fla quer rescindir contrato

A Fifa anunciou nesta sexta-feira a punição de Guerrero. O atacante do Flamengo e da seleção peruana está suspenso por um ano dos campos de futebol (confira mais abaixo a íntegra do comunicado divulgado pela Fifa) por ter sido flagrado no exame antidoping antes da partida da seleção peruana contra a Argentina pelas eliminatórias da Copa, no dia 5 de outubro – empate por 0 a 0 em Buenos Aires.

O contrato de Guerrero com o Flamengo vai até o dia 10 de agosto de 2018. Ou seja, a suspensão de Guerrero atravessa o período de punição. O jogador não atuaria mais pelo Flamengo e, evidentemente, ficaria fora da Copa do Mundo, em julho, com a seleção do Peru.

O Flamengo ainda não se pronunciou sobre a suspensão de Guerrero. Internamente o clube já contava com o pior cenário – embora não falasse do assunto, muito menos publicamente. A diretoria fazia sondagens a atacantes, até por que era um pedido público de Reinaldo Rueda, que queria uma alternativa a Guerrero – o treinador colombiano previa “agenda cheia” do peruano em ano de Copa do Mundo, com preparação e amistosos até o mundial da Rússia.

Fla e Guerrero já tratavam da renovação de contrato – as primeiras reuniões foram realizadas e as conversas continuariam no fim da temporada. Os contatos foram suspensos a partir do momento que a Fifa anunciou o doping do experiente atacante que completa 33 anos dia 1° de janeiro.

Por mensagem, os advogados de Guerrero se manifestaram sobre a punição ao jogador do Flamengo e da seleção peruana e prometeram seguir até a última instância na defesa do jogador. Confira o texto de Bichara Neto, representante do jogador no caso.

“Guerrero e sua defesa receberam com extrema surpresa e decepção o resultado publicado pela FIFA punindo o atleta com 1 ano de suspensão mesmo reconhecendo que o jogador não faz uso de cocaína. As provas são contundentes e somadas à baixíssima concentração do metabólito comum à folha de coca não justificam em nenhuma hipótese essa decisão. Vamos recorrer até a última instância em busca de justiça e em prol do Jogo Limpo e do Esporte Justo.”

Confira o comunicado divulgado pela Fifa:

“Em 7 de dezembro de 2017, o Comitê Disciplinar da FIFA decidiu, depois de analisar todas as circunstâncias específicas do caso, suspender o jogador internacional peruano Paolo Guerrero por um ano. O jogador testou positivo para o metabólito de cocaína, a benzoilecgonina, uma substância inclusa na Lista de Proibições de 2017 da WADA sob a classe “S6 – Estimulantes”, após um teste de controle de doping realizado após o confronto da competição preliminar da Copa do Mundo de 2018, em Buenos Aires, contra a Argentina, dia 5 de outubro de 2017.

Ao testar positivo para uma substância proibida, o jogador violou o artigo 6 do Regulamento Antidopagem da FIFA e, como tal, violou o artigo 63 do Código Disciplinar da FIFA.

O período de suspensão começa dia 3 de novembro de 2017, data em que o jogador foi suspenso provisoriamente pelo presidente do Comitê Disciplinar da FIFA. Em conformidade com o artigo 29 do Regulamento antidopagem da FIFA, a suspensão abrange, entre outros, todos os tipos de correspondências, incluindo jogos nacionais, internacionais, amistosos e oficiais. As partes da decisão foram devidamente notificadas hoje.”

Flamengo tentará rescisão amigável

O Flamengo tentará rescindir de maneira amigável o contrato com o atacante Paolo Guerrero, condenado a um ano de suspensão por doping, nesta sexta-feira. O atual vínculo do jogador vai até agosto, mas o clube espera chegar a um acordo para que seu fim seja antecipado.

Além disso, o rubro-negro avalia em que instância poderia reaver o salário pago ao atleta por um mês não trabalhado. Guerrero está suspenso desde o início de novembro e não tem participado da reta final da temporada do time, que ainda briga pelo título da Sul-Americana.

A ausência de Guerreo também fará com que o Flamengo seja mais agressivo no mercado. Se antes já buscava um jogador para ser reserva do peruano, agora investirá em dois reforços para o setor. Hoje, os meninos Felipe Vizeu e Lincoln, além do improvisado Paquetá, dividem-se na função.

Fontes: Globoesporte.com e O Globo

Deixe uma resposta