Gato e sapato

Não, não é possível que o Flamengo ainda não saiba se terá ou não o técnico Reinaldo Rueda para a temporada de 2018. A falta de informações e de comunicação entre o colombiano e os dirigentes beira o ridículo em um mundo pautado atualmente pela agilidade.

A impressão que se tem, pela inércia dos dirigentes, é que Rueda ficará. Aliás, é o mínimo que se espera diante da passividade dos cartolas. Agora, se o colombiano decidir aceitar a proposta chilena e abandonar o barco, a atrapalhada diretoria de Eduardo Bandeira de Mello pagará o maior mico dos seis anos de gestão.

Para ser bem sincero, Rueda deveria ter sido dispensado ao final da temporada passada. O trabalho do treinador foi ruim, não deu resultados concretos e uma análise fria deveria ter sido feita para que ele fosse dispensado. Mas Bandeira e sua turma, que abusaram do direito de contratar mal os treinadores e dispensá-los em momentos ainda piores, não entendem o suficiente de futebol para tomar tal medida.

Uma pergunta, porém, é mais do que necessária. E se Rueda sair? Quanto tempo terão jogado fora os dirigentes? Quais as opções? Desde já fica aqui o pedido. Não venham com Carpegiani pensando que ele repetirá o feito de 1981. E muito menos cogitem Cuca, que fez o pior trabalho de sua carreira justamente comandando o Flamengo.

É hora de pensar rápido. E agir…

Deixe uma resposta