Estadual não conta…

Vamos falar de coisa séria. O planejamento de Bandeira e sua turma para 2018 começou mal. Muito mal. O técnico é o mesmo que vive de títulos conquistados há quase 40 anos, o único reforço anunciado até o momento é um atacante mediano, indicado pelo ex-treinador, o mesmo que fez gato e sapato da diretoria durante todo o mês de dezembro.

Como se isso não bastasse, Muralha e Rafael Vaz, por exemplo, seguem no elenco e não há a menor perspectiva de que sejam negociados. Claro, afinal de contas, como dizem os modernos de plantão, não há mais bobo no futebol. Ou melhor, sempre há, vide o Sport, que contratou Gabriel como reforço.

O Flamengo inicia 2018 sem zagueiros confiáveis para quando Juan e Réver não puderem atuar. Sem laterais confiáveis para qualquer situação, sem volantes confiáveis, sem saber como será o desempenho de Diego, que terminou 2017 com péssimas atuações, com Mozer ainda sendo o gerente (?) de futebol… Concreta mesmo somente a esperança de que Éverton Ribeiro recupere seu bom futebol e, enfim, seja destaque.

Ah, já ia esquecendo. O Campeonato Estadual começou ontem contra o Volta Redonda. Vitória por 2 a 0, gols de Lucas Silva e Pepê. Foi bom para observar alguns garotos…

Já que é para falar sério, vamos deixar avisado desde então. O Estadual não conta para nada. Ganhar o título é bom? É. Mas só para sacanear os adversários. O Flamengo é o maior vencedor do torneio e até Bandeira e sua turma conseguiram conquistá-lo duas vezes. Se o Flamengo ganhar mais um Estadual, servirá apenas para colocar mais um troféu na galeria. Como avaliação de trabalho, não serve para nada.

O que a torcida quer em 2018 é um título expressivo. Ser eliminado na primeira fase da Libertadores e terminar em sexto lugar num Brasileiro de nível técnico tão medíocre, isso ninguém aguenta mais…

Deixe uma resposta