A primeira impressão não é a que fica

Quando Mauricio Barbieri assumiu o comando do Flamengo, demos um voto de confiança ao jovem técnico. E, nos dois primeiros jogos, contra Atlético-GO e Vitória (os primeiros 12 minutos), tivemos uma boa primeira impressão do comandante. O Rubro-Negro se mostrava mais organizado e apresentava o que ainda não tinha apresentado no ano: qualidade de jogo.

Pouco tempo depois, o que se vê é um Flamengo totalmente perdido. Na partida contra o Independiente Santa Fé, nesta quarta-feira, fora de casa, pela Libertadores, a atuação rubro-negra foi deprimente. Um time jogando pelo empate e, nas poucas vezes em que chegou ao ataque, com pouquíssima inspiração. Além disso, o treinador mostra não saber substituir. Mexe mal sempre e gosta de retrancar o time. Colocar volante em campo é com ele mesmo.

O desânimo bateu forte, Nação. Nós, sinceramente, não sabemos o que esperar desse time. Do Barbieri, nós já sabemos. E não é coisa boa. Queremos um treinador mais experiente e de mais pulso.

Apesar de todos os problemas, o Flamengo segue com boas chances de classificação à próxima fase. Só nos resta rezar e torcer…

SRN!

Deixe uma resposta